Terras Altas 2011 – Punta del Este à Rio Grande

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

O último dia no Uruguai foi marcado por uma viagem deliciosa pela costa do país. Paramos na Punta del Diablo, uma cidadezinha que começa a despontar como alternativa para a rapaziada que já não gosta mais de Punta del Este.

Durante a viagem o GPS indicava um aeroporto com pista de emergência muito próximo da rota que estávamos seguindo. Quando percebemos, a pista não estava próxima, e sim na rota. O pessoal resolveu aproveitar um retão da rodovia e construir uma pista de pouso no meio da estrada. Alargaram a via, pintaram cabeceira e indicativos e colocaram uma placa no começo e no fim alertando sempre para você dar uma olhadinha pra cima e dar a preferência para aviões com problemas.

Bacana.

Aduana uruguaia sem problemas, aduana brasileira mais intimidadora. Entramos em Chuí e visitamos o Arroio do Chuí, o ponto mais setentrional do Brasil.

Achei que a volta para o país teria aquela sensação que todo mundo espera de retorno à patria e tal, mas me frustrei. O Brasil parecia um país estrangeiro a mais.

Bom pra mim, ruim pra quem percebe.

No mais, estradas brasileiras ruins, gasolina batizada para desacostumar os carros que estavam com médias fantásticas e o pessoal falando português novamente.

























Mais sobre o autor

Ralph Spegel

Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.