O ubi campi

Com a idade – que só damos conta que ela existe depois dos 25 – adquirem-se novos vícios deliciosos. A pantufa fofa; o conhaque aquecido na mão; o eau-de-vie delicado; o sono da tarde ensolarada de sábado; a culinária refinada; o carro esportivo que não corre como poderia; a música curada fora das dez-mais-mais do…

A filosofia barata é um doce

A filosofia barata é deliciosa. Encaixa perfeitamente. Tende ao acerto igual a metodologia do bem-estar coringa de um horóscopo. Ajuda, esquenta, anima, conforta. É volúvel como um mantra repetido por centenas de vezes e que não fixa. Fácil de acreditar, fácil de esquecer. O problema é que ela não ajuda. Você não muda. O gelzinho gosmento em que…

As fotos do meu passado digital.

Tenho fotos em formato digital há muito tempo, desde quando esse tipo de registro ainda era coisa excêntrica e de qualidade questionável. Uma boa câmera de filmes (aqui entra um parênteses: nunca chame uma câmera de filmes de câmera-analógica; algumas tinham mais inteligência eletrônica do que muita point-and-shot de hoje em dia) e um bom…

Os rastros químicos em Brasília.

Dia desses um monte de gente importante trouxe à tona um problema seríssimo que os ianques estão semeando nos países de terceiro mundo: os “rastros químicos”, ou em inglês, ChemTrails. Muito conspirador já culpou a tragédia que acomedeu a região serrana do Rio com base nessa conspiração, e não tem nem que duvidar. Assista o…

A arte do anonimato na internet.

Desde quando a internet era internet eu gostava de fazer experiências sociais constrangedoras. Era um pouco de anarquismo sem fronteiras moderadas e também uma lasca de anonimato literal. Lembro-me da vez em que um colega de trabalho resolveu agitar uma lista de discussão em que participávamos, a famosa e d’outrora reconhecidíssima WDMasters, hospedada na 10’Minutos.…

Dos capitães do Hápax.

Toda vez que o capitão do navio grego Hápax de bandeira de cabotagem Loyd Britâin descia às docas, senhoritas de vida mundana amontoavam-se no costil de atraque para afofalhá-lo de denguisses. Todos os marulhos, práticos e baixas-patentes o invejavam. “Esse homem é o puro mel do incrustado, não tem razão de ser essa quereção toda!”…