O ubi campi

Com a idade – que só damos conta que ela existe depois dos 25 – adquirem-se novos vícios deliciosos. A pantufa fofa; o conhaque aquecido na mão; o eau-de-vie delicado; o sono da tarde ensolarada de sábado; a culinária refinada; o carro esportivo que não corre como poderia; a música curada fora das dez-mais-mais do…

O comentarista de blogs

Como seguir vivendo se todo momento é agora, se todo lugar é aqui, se todo pensamento é compartilhado, por mais insignificante que seja? (…) Eram apenas figurinhas num banco de dados dedicado a gerar receita com publicidade. Uma horda ávida por tagarelar sem ponderação alguma, emitindo opiniões compulsivas sobre qualquer coisa como se esse desespero…

Você pode ouvir o orvalho cair.

And all the people of the lulled and dumbfound town are sleeping now. Hush, the babies are sleeping, the farmers, the fishers, the tradesmen and pensioners, cobbler, schoolteacher, postman and publican, the undertaker and the fancy woman, drunkard, dressmaker, preacher, policeman, the webfoot cocklewomen and the tidy wives. Young girls lie bedded soft or glide…

Rapidinhas, rápidas e rasteiras.

Olha só como é o mundo dos carros 4×4: meu utilitário — fabricado e montado no Brasil — só consome peças originais japonesas. Não tem xixi-minha-nêga não: o mercado paralelo nem sequer sabe do que estamos falando. Então toda peça nova que preciso, lá vem aquela embalagem toda cheia de ideogramas e códigos de guerra…

Grandes Manoeuvres.

Esta ilustração acima é a página 29 de um livro chamado Mes Jolis Jeux, que comprei em um sebo sebendo qualquer por R$9,99. Descobri que ele é tiragem única, de uma pequeno prélo de uma livraria francesa, a Hachette librairie e que sua edição é de 1880. A tipografia é clássica da casa de fundição…

Gente X Mato: Pedro Martinelli

Pedro Martinelli  — um dos fotógrafos que escrevem a história do Brasil em imagens — anunciou em seu blog que está fazendo a venda direta dos seus dois livros, Gente X Mato e Mulheres da Amazônia. O preço é muito atrativo (50 lascas cada) e o frete já está incluído. Você não encontra uma oportunidade com…

Quando Alexeyevich pirou

“Nem bem o ano começou, eis que os círculos literários são tomados por uma limítrofe teia de tragicidade e comicidade (…) Compilando dados de suas vivendas e desaventuras, o jovem escritor sérvio naturalizado brasileiro Alexeyevich Кропткин elege-se como novo expoente do disperso movimento apelidado pelo crítico Rubens Siebra Roudão como crônicas losers (vide também a coluna…