As redes sociais nunca mudam

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

Pensando aqui com meus botões de like, faz 12 anos que participo de alguma comunidade virtual. A rede social é a reinvenção mais genial que já vi na internet: um fórum, com tíquetes exclusivos e um álbum de fotos melhorado.

Mais de dez anos depois, com o peso da consciência e apriorismo de um usuário tarimbado na arte de perturbação social, compilei algumas irritantes ações de quem certamente NÃO sabe o que é uma rede social.

A rede é social. E sociabilizar é uma arte que requer dois fatores importantíssimos: tolerância e a flexibilidade com o próximo.

É claro que isso não funciona na internet.

A rede é um meio coletivo onde não existe contato físico. Você pode xingar o mão-de-marreta sem a necessidade de pugilar. E é justamente por isso que o território fede mais do que o esperado.

Dos problemas sociais virtuais indeléveis que me perseguem:

  • Gente que pontua, frases erradas!!!!!!!!!!!!!!!!!!????
    Infelizmente as redes sociais ainda necessitam dessa desgraça humana chamada escrita. Para piorar, a escrita baseia-se naquela bosta preta chamada gramática. Pontuação, concordância, coesão, coerência. Um ponto de exclamação ou de interrogação são suficientes. Use até três se a perplexidade for descomunal. Excesso de pontuação é desespero.
  • Fotos repetidas
    A fotografia digital é um espetáculo. Tem umas máquinas que batem 4 fota por segunda. O problema é que o povoado ribeirinha não sabe que essa função serve apenas para selecionar a melhor e jogar fora todas as outras repetidas. Não suba as 580 fotos. 18 já servem o propósito.
  •  O comentarista viajante no tempo
    Tem um povo cavernoso que liga o computador a cada 45 dias. Conecta no Discador do Zaz e começa a dar joínha em fotos do carnaval de 2006 em Troncoso. A foto com aquela namorada que nem é mais namorada. E a sensação do stalker aparece instantaneamente.
  • O crente, o ateu, o boleiro e o militante fervoroso
    Todos na mesma categoria. Todos na mesma crença religiosa. Religião é legal, ser ateu é um desafio em um estado laico-católico, futebol é saudável e incrivelmente social. A política é a base da estrutura moderna e uma pessoa apartidária é apenas um boi no rebanho. O problema? Quando defendem seus ideais com pranchassos de facão de 18 polegadas de cortar cana em Araçatuba. Todo argumento cai por terra quando seus dentes raivosos aparecem.
  • A crise de identidade social
    O João Silva mudou de nome: agora é João Guarani Kaiowá Silva. Maria Pedra é ‘ ̿’\̵͇̿̿\з=(◕M4R14 P3dR4◕)=ε/̵͇̿̿/’̿’̿̿  e Pedro Quadros trocou de sobrenome: Agora É Peter Frame. Eu não consigo te achar quando busco pelo seu nome. Pior ainda quando você troca todos os caracteres por Кири́л алфавиты (que tenho certeza que você não sabe o que significa cirílico) e não existe como te tagar em alguma coisa que eu julgue importante (o que é uma coisa bem rara).
  • O semeador do campo de iniquidades
    Sabe aquele seu amigo que posta foto de cachorro esbugalhado, gente morta, bandido perfurado por 83 projéteis e que compartilhou que bandido bom é bandido morto? Pois é, não está sendo muito social.
  • O quadradinho é pequeno; caberia uma foto de nós dois?
    Claro, só juntar esses dois rostinhos bonitos. Quem foi o desgraçado que começou com essa ideia idiota de fazer perfil de casalzinho? “Fala seu filho da puta! Tudo em riba?” “Oi Ralph, é a Katriellyn aqui. Hoje sou eu que estou atualizando nosso feice. Mas posso avisar o Mayco que você quer conversar com ele”
  • O São Tomé dos posts
    O cara só acredita vendo. E tudo que vê escrito é verdade. Se está na internet mizifí, é porque é publicação oficial. Facebook vai ser pago? Vai sim sinhô! Compartilhas se não quiserdes seu face pago.
  • Paulo Cintura, é você!?
    Saúde é o que interessa! E dá-lhe foto fazendo careta com a cara vermelha. Uma dica: toda foto de corrida é igual, só muda seu numerinho na pança.
  • A Magia de uma nova sementinha
    Depois dos 25 anos de idade duas coisas inevitavelmente vão acontecer na sua linha do tempo social: amigos casarão e crianças nascerão. Da primeira, é claro, fotos vestidos de noivo/noiva por dois, três meses como perfil. Da segunda? Começa com o ultrassom: Olha que linda a nenê! E assim seguem as milhares de fotos tiradas com um telefone acima da criança. Dica de ouro #2: Adulto, seja inteligente e abaixe a câmera na linha dos olhos da criança. Assim ela não parecerá um anão cabeçudo em todas as fotos.
  • Djonatan Fjznnitsehn Bezerra
    Desgraçado. Enfiou a mão na minha cara em 1986 na pré-escolha da Tia Meme por causa de uma rapadura batida. Sumiu do mundo em 1987. Agora, 37 anos depois, o desgraçado me adiciona como amigo? Sim, isso era legal no Orkut, um fenômeno interessantíssimo ver rostos adultos de figurinhas do passado. Mas note a parte interessante disso tudo: a maioria desses fantasminhas do passado têm vidas diferentes, chatas e sem a menor compatibilidade com a sua.
  • Batedores de polenta da Colonha Murici
    Quem foi o féla que me adicionou nesse grupo!? Adoradores de Mum-Há? Eu tenho amigos especiais mesmo.
  • O mongol que cria um perfil da loja. E a LOJA quer ser sua amiga.
    No Orkut era ok. Facebook tem um troço legal que é criar uma página e promover coisas. Sei lá, não deve ser difícil.
  • Like na própria postagem/comentário
    Só eu e o Pereira quem podemos. Temos bots para isso.
  • MEU DEUS DO CÉU AGORA FUDEU!!!!
    Seu filho da puta! Fudeu o quê!? Levou tiro? Sequestro? Caiu o pinto, bátima? Não, né. Se você teve tempo de postar isso significa que não fudeu muito. “Ah, derrubei meu telefone e quebrou a capinha de brilhantes…”
  • Atrás do toco
    Quem já foi caminhoneiro e munhecou um px conhece essa gíria. Ele está ali. Sabe tudo o que você posta. Observa, de longe. Conhece os seus medos. Suas fugas. Mesmo quando não está na internet. Você quase consegue sentir sua presença. Não conhece o botão do joínha. Não comenta. A foto do perfil ainda é um vulto azul claro e branco. Mas ele está ali. Observando.
  • KKKKK
    hausausuahs eheh ririri. E só.
  • Com vocês, Fidel.
    E aquele discurso pedante alusivo discorrido sobre qualquer tema em qualquer situação. 200 toques por minuto; contagem de palavras na casa dos oito mil. E, olha só: tem réplica, tréplica e comentário final. Um debate que não acaba.
  • Arnaldo Jabor na timeline: quem foi?
    Se Arnaldo Jabor, Jo Soares e Luis Fernando Veríssimo fossem os reais donos de todas as quatrocentas e trinta e sete mil frases de sabedoria que lhos são atribuídas teríamos uma tríade espetacular de anti-cristo estabelecida.
  • Powerpointeiros eternos
    Sabe aquela piadinha de internet de 1997 que reapareceu em 2003 e perdeu a graça no levante de 2011? Pois então, o tio zambeta achou graça dela agora em 2014, pela primeira vez. Não é um comportamento errado tampouco reprovável. O problema na verdade é apenas você que é velho demais na internet e infelizmente já conhece 99,387% do conteúdo engraçado de outrora. Aguente quieto e não reclame.
  • Amigo do mundo agora sou
    Checkin em casa, Checkin no trabalho. Checkin na academia. Checkin em casa. Checkin no trabalho. Chequim na academia. Xequim em casa, xek na acd. Xk trabs. X, kz. X. Sua vida é um saco sem fim na rotina. Pra quê foursquare?

Existem milhões de páginas “X coisas insuportáveis no Facebook”. A ideia é velha. Quase não publiquei aqui porque, no final das contas, 90% das reclamações são sempre as mesmas. Essa do iG tem ilustrações muito legais.

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.

4 comentários

  1. Porra véi quando eu to terminando meu cadastro todo animado pra rever a galera do pré-primário você me posta essas coisas e eu apelo pro “xzinho”