História da publicidade

Bem-vindo ao acervo virtual da história da publicidade, um projeto sobre a evolução das propagandas comerciais nas mídias impressas nacionais. O banco de imagens conta com um acervo de mais de dois mil anúncios dos mais variados produtos e serviços. A métrica é simples e minimalista: divisão por décadas, subdivididas por periodos de vigência.

 

Palavra do editor

Olá! Meu nome é Ralph, editor deste pedaço de internet chamado A publicidade antes dos malditos publicitários: uns 174 e poucos anos de anúncios interessantes antes do umbiguismo profissional propagandeiro no Brasil”. Este espaço é um acervo de peças publicitárias históricas que não pára de crescer. É uma coleção expontânea, de boa vontade e o melhor, disponível para todos.

Os arquivos aqui apresentados mostram detalhes bem enxutos e básicos. O ano e mês da publicação, o veículo utilizado e o nome do anunciante (que as vezes é muito difícil de entender). Talvez essa métrica mude um dia, mas é o suficiente para começar agora.

Todos os anúncios foram pesquisados em bibliotecas públicas e particulares, setores de obras raras e em revistas e almanaques velhos comprados em sites de leilões. A grande maioria teve que ser fotografado, pois não toleram a luz de scanners, o que compromete um pouco a qualidade gráfica final.

Espero que todo o material abaixo tenha uma boa utilidade!

1880-1900

A história da propaganda no Brasil começou em 1808, quando nasceu a Gazeta do Rio de Janeiro, nosso primeiro jornal. Esse periódico publicaria o mais antigo anúncio de que se tem notícia: “Quem quiser comprar uma morada de casas de sobrado com frente para Santa Rita, fale com Joaquina da Silva, que mora nas mesmas casas…” A partir daí, pequenos textos sem ilustração, alguns sem título, do tipo “classificados”, começaram a oferecer serviços: professores de línguas, casas à venda ou para alugar, ofertas de escravos, recompensa para quem encontrasse algum negro fugido, como um certo Felipe, de Rio Claro, “com estatura menos que regular, cheio de corpo, bunda grande, de cor fula”.

Veja todos os anúncios dessa década

1900-1910

As revistas começaram ao raiar do século. 1900 marca o surgimento da primeira, a Revista da Semana, no Rio de Janeiro. A importação de máquinas e novas técnicas de impressão faria multiplicar, nas capitais, esses periódicos ilustrados, renovando a imprensa com uma nova atmosfera: crônica social, charges, sonetos, fotos de senhorinhas e ecos parisienses. Os anúncios ganham cores, maior bom gosto, é a nossa fase art-noveuau. Artistas conhecidos passam a desenhar para a publicidade e poetas famosos são os nossos primeiros copywriters. É o tempo da sátira política na propaganda, que iria se prolongar por toda a década seguinte. Affonso Pena dá um testemunho entusiasta para o Bazar do Japão, sem muita compostura, e o mesmo fazem seus ministros, entre eles Miguel Calmon e David Campista. Um dos anúncios da época, veiculado na Fon-Fon!, mostra o Barão do Rio Branco, gordo e saudável, conversando com um menino. Assim: “Seu Barão, o que devo fazer para ficar forte e bonito como o senhor?” A resposta: “Deves-te alimentar com o milagroso Manah, que, além de ser atualmente a salvação das crianças, ainda oferece um prêmio de 500$000″.

Veja todos os anúncios dessa década

Sobre o Projeto

Todos os anúncios encontrados neste projeto são materiais de pesquisa histórica sobre a popaganda no Brasil e não constituem publicidade paga.

A maioria dos anúncios publicitários foram colhidos por fotografias. Isso significa que você poderá encontrar algumas distorções visuais (aberrações cromáticas, vignete, distorção perspectiva e até reflexos).

Vale a pena visitar:
História da Publicidade e Anúncios Antigos;
Museu Virtual Memória da Propaganda;
Reclames do Estadão;

Blibliografia:

Biblioteca da UnB – Seção de Obras Raras;
Biblioteca da UnB – Seção de Periódicos;
Livro 100 Anos de Propaganda
Ed. Abril Cultural;
Livro 200 Anos de Propaganda no Brasil – do reclame ao cyber-anúncio
Ricardo Ramos
Pyr Marcondes
Ed. Meio & Mensagem
Acervo particular

Você tem alguma revista ou jornal antigo e gostaria de colaborar com este acervo? Entre em contato!