Parkland walk, o parque mais linguiça de Londres.

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

Parkland Walk em Londres é um parque estranho. Criado em 1930, parece A Casa do Toquinho: não tem nada. Não tem entrada, não tem guarita, não tem caminhos pavimentados nem placas. Não tem sinalização, ninguém quer cuidar dele. historicamente o parque era uma linha férrea que ligava dois pontos viários da cidade que foram substituidos pelo metrô subterrâneo. Como a redundância fedia, resolveram por bem arrancar todos os trilhos do lugar e investir em outra linha nova. Abandonaram a carcaça do espaço, o matão cresceu, as ruinas ficaram feias e deu no que deu.

Hoje em dia vários grupos de moradores locais tentam cuidar como podem, grafiteiros sentam pixo nas paredes, muita gente passeia e se exercita e o parque continua incógnito no meio do nada. Uma brecha no limbo da administração que não sabe o que fazer com o local.

Eu sei o que fazer: tirar fotos e aproveitar a estranhice.

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

<p>Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.</p>

2 comentários

    1. Eu também fiquei meio assim com esse parque, brasileiro que desconfia das coisas. Corri atrás de informações e descobri que a polícia tem em média duas ocorrências por mês relacionados ao parque, um furto de cachorro em 2010 e uma mulher estuprada em 2009 que resolveu passar por lá depois da meia-noite.

      Todo mundo da região passa por lá sem problemas, nos finais de semana tem engarrafamento de humanos com seus cachorros, lugar tranquilo.

      Ainda assim fui receoso. Tentando achar chifre na cabeça de gnomo. E não achei nada.