Os 15 alimentos mais nocivos (e que eram bons no passado)

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

Quem está antenado com o mundo saudável atual sabe que existem muitos mocinhos e bandidos quando se trata de alimentos saudáveis e nocivos à saúde. Uma alimentação balanceada e segura pode mudar a sua vida de uma maneira surpreendente.

E não é difícil mudar! Basta conhecer, de fato, quem são os vilões da atualidade. E nada melhor do que uma ajuda profissional para resolver esse problema. Para isso, convidamos o nutricionista esportivo Clistófones Aguilar Fonseca, proprietário da academia Fábrica de Músculos, para esclarecer algumas verdades e mitos sobre como uma dieta pode ser saudável e sem amarras.

Segundo Clistófones, “Alguns alimentos são uma fonte inesgotável de desgraças no organismo”. Não ajudam a digestão, não adicionam proteínas, fibras ou vitaminas e apenas engordam e matam. Neste grupo encontram-se apenas 5 alimentos:

Grupo dos alimentos mais nocivos que te matam em cada garfada:

Glúten

Sim, o glúten. Principalmente o glúten enlatado (imagem acima que ilustra este artigo). Com altas cargas de aminodeídeos, formacotelídeos e trans-paternogenídeos, o gluten é um animal longe de ser saudável para o ser humano. Carlos Chacal foi atacado por um glúten do ártico em 1968. A mordida rendeu-lhe 38 pontos no joanete esquerdo.

No mais, não coma. “É uma desgraça no organismo. Afeta seu equilíblio mediatônico e, a longo prazo, causa flatos ruidosos e de fedor denso-amarelado” explica Clistóneres. Portanto, evite.

Coentro

Apesar do grande apelo dos nutricionistas para que se evite a erva-daninha, muitas pessoas fazem vista-grossa sobre os malefícios deste alimento. Um estudo publicado pela Dr. Simone Weil, da Universidade francesa de Lille, explica neste artigo seus malefícios diretos: “É uma mistura explosiva: alcalóides pirrolizidínicos (uma substância tóxica produzida no processo de bio-síntese da planta) com cianeto de hidrogênio. Um veneno que, ao ser ingerido ao longo do tempo, passa a causar ardor e flatos ruidosos, de fedores denso-almiscarado”. Por conseguinte, evite.

Acarajé-quente

Acarajé é a bola da vez dos alimentos malditos. Clistóntones explica: “O acarajé tem em sua composição olho-de-pombo (o feijão, não o galináceo), fradinho (o feijão, não o eclesiástico), azeite de dendê e sal agosto. Por si só, o sal agosto já deveria ser evitado pelo alto teor de sódio contido”. Além do mais o azeite de dendê é nocivo por ser um azeite e não um óleo. Isto posto, evite.

Carambola

A carambola é uma fruta que mata. Um ciclista desconhecido comeu 12 frutas por 28 anos e morreu atropelado em um cruzamento de Massashussets, Ohio. Sim, o consumo desenfreado dessa inocente fruta pode causar descompasso cardíaco, doenças ilíacas e até apodrecimento de unha encravada. No mais, evite.

Refrigerantes

Os refrigerantes – como o próprio nome sugere – nasceram durante a primeira guerra mundial como um líquido gaseificado arrefecedor de cano de metralhadora giratória. Isso mesmo! Uma água gaseificada umedecida que resfriava a indústria bélica. Contam os relatos que Arthur Dolly, um cabo-de-infantaria, ao notar-se acuado no front por 12 dias, bebeu por engano uma quantidade de refrigerante ao invés de água. Logo após sentiu um comichão gostosinho na garganta, um arroto abrupto e efusivo e uma sensação de prazer indescritível. Não pensou duas vezes: adicionou um pouco de groselha, uma pedrinha de açucar e assim criou a ‘tube aim inner’ (tubo de mira interna) traduzida erroneamente para o português como tubaína. Outrossim, evite.

Refrigerantes light/diet

Mesma história. Mas com um desfecho muito mais triste. refrigerantes dietéticos possuem uma carga energética negativa. Sim, utilizam de um composto de sódio (sal agosto) que invertem a ideia de adoçantes e retiram do organismo – logo que são ingeridos – energia positiva. “Os refrigerantes light e diet deixam a pessoa mais amarga e negativa” Reforça Clistrãofones. Fatiou, passou, evite.


 

Grupo dos alimentos liberados:

Clisãntemes afirma que os alimentos abaixos, definidos em 4 grandes grupos energéticos, são liberados para o consumo mesmo que de forma artesanal. “São alimentos que possuem um pouco de nocividade mas não chegam a matar. Até água, em excesso, mata. Lembra do Titanique?” ironiza o nutrólogo.

Categoria dos carboidratos ferrosos

Ovos, bacon, maionese de domingo e costela recheada com nutella. Pode, mas com parcimônia.

Energéticos, whey protein, vitaminas, suplementos e asteróides.

Se você é fisico/turista, pode. Apenas evite os flatos-carniça perto de crianças.

Proteínas diversas

Cebola, cenoura, repolho, alfácia, tomate, arroz e feijão tropeiro. Pode, mas sempre balanceado com um vegetal do grupo das carnes. Pode.

Minerais e mineralizados

Agua mineral, aluminio e pedaço de plastico de etiqueta de linguiça. Pode.

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.

Um comentário