O Ipê-rosa (parte final)

Dá mesma série das “árvores para concurso” aí abaixo. Essa foto foi fabricada no mesmo dia em que eu fui atacado por formigas de correição. O ambiente estava muito escuro e as luzes contrastaram demais. Quando revelei a foto que percebi como esse Ipê era doido das ventas: metade dele estava florido e a outra metade já estava com folhas.

tabebuia no Eixão - Brasilia

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.

0 comentários