Ensaio disperso

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

Ainda está impregnado a sonolência implícita do meu olhar moribundo, não?

Inconsistente por uma brumosa e triste realidade de espirito é a cidade que te carcome em um tédio prazeiroso e inquieto, sofrível, consciente. Uma rotina quotidiana esplendorosa e hipersensível que te desatina dia-a-dia.

É o descompasso ínfimo que margeia tua vida.

Trágico isso. Trágico atentar à tua sensação de perfeição marginal. Trágico não te atentar. Quem sabe?

Vejo que algumas pequenas coisas nítidas te confortam. Sensações que te orgulham. E te orgulhar dessas palavras tempestuosas é o mesmo que respirar essa grandeza própria e furtiva. E você ainda treme! Não sabe se esse orgulho é resquício de timidez audaciosa. Porque te conheço, e sei que tuas pequeninas gafes amorísticas são rescaldos de um fogo insandecido que te acomedeu. Queimada em vão. apenas essas sardas te provam. E povoam.

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

<p>Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.</p>