A copa e o legado

Curtir Aguarde... descurtir
 
0

A copa foi legal. A BBC disse, por voto popular na tuíta, que foi a melhor de todas. A mais engraçada, para mim.

Pensei em escrever mais um daqueles textos pedantes que todo mundo escreveu. Mas não quero (e nem vou) entrar nas mazelas que grudaram na copa (militância política, corrupção, obras e desgraças). O legado não existe ainda: será a sobra. Que pode ser bem boa até.

Outrossim isto posto, vamos a LISTA DAS DEZ MAIS-MAIS (E DAS DEZ MENAS-MENAS) Ralphenianas que me chamaram a atenção:

10++

  • A tomada indecifrável e aleatória de quais times a torcida brasileira apoiara
    Isso foi interessante: com algumas condicionais-comuns os brasileiros apoiaram times fracos contra os opressores comunistas, capitalistas, do velho mundo e, é claro, qualquer um que jogasse contra a Argentina
  • Gente feia por metro quadrado
    Atenção: eu adoro gente feia. E, pelo que percebi, foto e video internacional se deliciaram com a excentricidade do povaréu em volta dos estádios. Não só gente feia, mas trajes estranhos e adereços exóticos. Tudo verde-amarelo.
  • Portugal levar uma ensaboada
  • Estados Unidos levar uma ensaboada
  • Espanha levar uma ensaboada
  • Alemanha levar uma ensaboada (apagarei caso ganhe da Argentina)
  • Argentina levar uma ensaboada (apagarei caso ganhe da Alemanha)
  • Brasil levar uma ensaboada
    O time brasileiro levou uma ensaboada homérica. Não tenho dó dos “Nossos Meninos de Ouro”, não tenho dó do choro-seco do momento da derrota esdrúxula contra os teutônicos. Foi um vexame e se você considerar que aqueles 11 ali eram profissionais, incompetência então o é. Dó de quem ganha em 2 horas o que você ganha em 1 ano, cara-pálida? Só você e a dona Filandrinha da quermesse com esses olhinhos maravilhados.
  • Brazil everyday everywhere
    Todo dia, toda hora, qualquer lugar: Brazil, Brazil, Brazilians. TV, Radio, Internet, Jornais impressos. Materias sobre futebol, sobre cultura. Reporteres cada dia mais queimados do sol. Gente assustada e maravilhada.
  • A zoação nas midias sociais
    Assistir um jogo com amigos comentando via Twitter e Facebook foi sensacional. Mas, durante a taca dos Sete veiz Um, foi o ápice da criatividade auto-destrutiva.
  • A cobertura da BBC
    E os sensacionais videos sobre assuntos especificos como o Perfect 10s shine in Brazil, Klose’s record 16 World Cup goals ou The art of freestyle football. E sem o Galvão, of course.

10- –

  • O grito de torcida Sou Brasileiro
    É um grito legal e vale como hino de estádio. Problema era escutar isso há cada 5 minutos durante partidas em que o Brasil não jogou (Gama X Somália, Togo X Chipre, Botswana X Irã)
  • A mangação hermana Milgô-milgô
    Criada pelo (Oh! Movimento Verde e Amarelo) tem a fantástica letra: Mil gols! Mil gols! Mil gols! Mil gols! Mil gols! Só o Pelé! Só o Pelé! Maradona cheirador! onde a pronúncia de gol deve ser (sem L) e cheirador deve ser cheiradô para criar uma rima assimilável.
  • Torcedores Brasileiros que ainda insistem em ensinar coisas erradas
    Ei Gringo, você do you like esse instrument aqui [pandeiro]? Yes of course! Aqui in Brazil we call ele the piroca!!! Peerroucka? Yeah Diz aí I love PiRoCa! I Love Peehowck! HUeHUEHUe BRBRBR DERP WErP
  • Ufanismo fora de controle psico-ativo-agressivo
    Cara, você não mora mais no Brasil, o que que você sabe da situação aqui? Bem-feito seus mané inglês a Inglaterra foi eliminada! A inglesada ta destruindo os estadios rúligans vem pra cá pra tacar o terror. N.E.: Infelizmente eu ainda sou brasileiro nato e esse estigma jamais poderá ser arrancado dos meus papéis; beijinho no ombro para você.
  • O povo que queimou a bandeira depois da ensaboada brasileira
    Sim, sempre tem o idiota que desliga o patriotismo no momento em que o Brasil perde a copa. E aí o que ele faz? Taca fogo no pavilhão nacional.
  • Os preços padrão phipha
    com ph para justificar a phineza e a rhiquesa.
  • A projeção errada de que todo mundo fora do Brasil conhece o Brasil nos mínimos detalhes
    Foi um pouco de vergonha alheia o fato de que muito brasileiro chegou a brilhante conclusão de que o mundo (monstrinho) estava olhando para as terras tupiniquins (chocúque) a coisa foi, de fato, quase isso. Mas (para minha decepção também) foi mais marola que tsunami.
  •  Os feriados que bagunçaram o coreto
    E que foram decretados em cima da hora para evitar engarrafamento (parei, parei, isso vai engargalar na política)
  • A propaganda do KFC (o festefóde de galinhas)
    Essa propaganda desgramada tocava a cada 5min na tv inglesa:

E você? tem uma lista de coisas boas e ruins?

Mais sobre o autor

Ralph Spegel

<p>Forte, estatura heróide, pálido de argila, barba inteira, rente, pontiaguda, vestindo corretamente, parecia à primeira vista uma dessas nulidades elegantes, a que a natureza, satisfeita por masculinizar-lhes o aspecto heróico, regateia lugar no espaço. Bastava porém, reparar na flexão das suas sombrancelhas espessas, na expressão imperativa do seu olhar, para descobrir dentro dessa míngua orgânica, um caráter em carne viva.</p>