O apartidário ignóbil.

A internet era para ser elitista. Os estudos de tendências de uma década atrás apontavam um, no máximo dois brasileiros a cada dez, em 2010, com acesso à rede. Era o preço dos computadores (e da banda larga) quem ditava essa regra. Mas como esse demonhinho é totalmente imprevisível, o mercado despejou netbooks, tablets, smartphones e assim…