Os velhos roqueiros de sempre

Cuidado quando for fazer uma tatuagem na barriga. Quando envelhecer, essa bola amarelada vai ficar mais para uma gigante-vermelha do que um sol estiloso. O tatuador-filósofo tem toda a razão. A velhice é uma escaraminholada caveira que não dá trégua para ninguém. O bom e velho rock’n’roll é herança nativa dos anos 60 e 70. E muitos daqueles…

Feriado de tirar os dentes, Há!

Final de semana bate-e-volta para a Chapada dos Veadeiros, região inóspita, mística e cheia de cabeludo rastareaggae louco da bola. Bom, foi a vez de estrear a Lafuma vermelhona em acampamento selvagem e visitar algumas cachoeiras mais complicadas de chegar. Cachoeira do Macaquinho e Catarata dos Couros no itinerário. Projeto completado com sucesso. Fotos, logo…

Coisas do caderno velho

Achei esse desenho em um caderno velho do tempo em que eu achava que o dinheiro me salvaria. Hoje, a idéia é bem projetada na cara-de-bunda do personagenzinho de 4cmx3cm rabiscado à nanquim 0.2.

Rockabilly9

Descendo*, você pode se deparar com uma pérola dessas: Br-101 trecho Curitiba-Garuva. Releitura com um tablet e um Photoshop v8-302 canadense restaurado ano 71. *Descer é um verbo intransitivo curitibano. Significa tão somente viajar ao esdrúxulo pequeno-litoral paranaense.

R.Valentino

Há locais difíceis de descrever. Uns porque não são em nada inspiradores, outros porque, precisamente pelo contrário, por serem especiais deveras, nos deixam a sensação de que tudo o que dissermos ou é pouco ou é excesso (e ambas as situações são igualmente negativas). Ou pior: que aquilo que aformamos é uma amálgama de clichês…